Eri Costa propõe criação do Programa de Vacinação Domiciliar de Idosos

 

Através do projeto de indicação nº 138/2019, aprovada por unanimidade, na 23ª sessão ordinária, no plenário da Câmara, o vereador Eri Costa (DEM) propõe a instituição do Programa Vacinação Domiciliar de Idosos no âmbito do Município de Simões Filho.

Segundo o parlamentar, a iniciativa é destinada ao atendimento da população com idade igual ou superior a 60 anos e que apresente dificuldade de locomoção e se encontre comprovadamente impossibilitada de se deslocar até os postos de vacinação por si ou por seus familiares e responsáveis.

O projeto propõe que a solicitação para receber a vacina em casa deverá ser feita pelo próprio interessado ou por familiares e terceiros que sejam responsáveis pela pessoa para a aplicação de vacinas no âmbito domiciliar.  .

O vereador Eri (DEM) apresentou indicação que sugere a criação de um programa para vacinação domiciliar de idosos. A proposta é atualizar a carteira de vacinação dessas pessoas, prevenindo, assim, doenças como a gripe, pneumonia, difteria, tétano e febre amarela.

O parlamentar afirma que muitas pessoas deixam de tomar as vacinas porque não conseguem ir até a um Posto de Saúde. “A vacinação, não apenas protege aqueles que recebem a vacina, mas também, ajuda a comunidade como um todo. Quanto mais pessoas de uma comunidade ficarem protegidas, menor é a chance de qualquer uma delas, vacinada ou não, ficar doente”, argumentou.

A execução do projeto deverá ser realizada pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde.

Vacinação e imunização

Vacinas contra H1N1, hepatite e febre amarela são algumas das imunizações necessárias para indivíduos com idade maiores de 60 anos. Que seja criada uma Caderneta de Saúde da pessoa Idosa, para que com esse documento em mãos, o paciente possa registrar informações importantes sobre a sua saúde, bem como, controle de peso, glicemia, pressão arterial e medicação utilizada.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra a gripe, por exemplo, protege contra os três principais tipos de vírus que circulam no hemisfério Sul. Dados indicam que o grupo de idosos é o que mais apresentam complicações provocadas pela doença. Outras imunizações que constam na caderneta de vacinação são contra hepatite B, febre amarela e também a pneumocócica 23-valente. As doses são distribuídas pelas unidades básicas de saúde. O Ministério ressaltou que cada vacina segue um esquema diferenciado e é necessário que o paciente complete o ciclo determinado para cada uma.

No caso da hepatite B, é preciso tomar 3 doses- a segunda 30 dias depois da primeira e a terceira 6 meses depois. “Apenas com o esquema completo, a pessoa vai estar devidamente imunizada, pois o organismo cria anticorpos em níveis adequados e a vacina terá uma eficácia em torno de 95% a 100%”, informa a pasta.

Sendo assim, tenho ciência das dificuldades encontradas por parte desta população no deslocamento até os postos de vacinação, fator que implica, muitas vezes, na descontinuidade da imunização.

 

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Simões Filho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor, digite seu nome aqui